24 Horas.US
Notícias do Brasil e do Mundo.

Voluntário é preso depois da divulgação de video com mau comportamento de Agente de Fronteira

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

PHOENIX, AR – Um voluntário que trabalhava para uma organização que tenta impedir imigrantes de morrer no deserto do Arizona foi preso algumas horas depois que o grupo publicou vídeos mostrando agentes da Patrulha da Fronteira chutando garrafas de água que foram deixadas para aqueles que atravessam os EUA ilegalmente.

Scott Daniel Warren, de 35 anos, do grupo No More Deaths, enfrenta a acusação federal de abrigar ilegalmente duas pessoas no país. Sua prisão na semana passada veio depois que os agentes da Patrulha da Fronteira realizaram vigilância em um prédio onde dois imigrantes receberam comida, água, camas e roupas limpas, de acordo com registros federais do tribunal.

Caitlin Deighan, que faz parte do mesmo grupo, preferiu não chamar a retaliação de prisão, mas disse que parece suspeito que Warren tenha sido preso tão perto do lançamento dos vídeos.

“Nós vemos isso como uma escalada e criminalização dos trabalhadores humanitários”, disse Deighan na segunda-feira (22).

A Patrulha da Fronteira não respondeu os pedidos de entrevista por email.

William Walker, advogado de Warren, disse que as ações de seu cliente não eram criminosas. “Este é um trabalhador humanitário que tenta salvar vidas”, disse Walker.

No More Deaths, na semana passada, divulgou para a imprensa vídeos produzidos entre 2010 e 2017, principalmente por câmeras colocadas em seu acampamento do deserto. Em um desses clipes, um agente de patrulha fronteiriça chutou cinco jarras de água destinadas aos imigrantes. Em outro, um agente derrama galões de água no chão.

Em 2005, dois voluntários do grupo foram presos depois que dirigiram três imigrantes do local do deserto para uma igreja de Tucson para obter atendimento médico. A acusação não foi acatada por um juiz federal.

No More Deaths é uma coalizão de organizações religiosas, defensores dos direitos humanos e indivíduos que fornecem comida, água e assistência médica aos imigrantes que atravessam o deserto do Arizona do México.

Os imigrantes que se aproximam dos Estados Unidos dessa forma enfrentam muitos perigos, incluindo andar por vários dias no calor abrasador.

Milhares morrem atravessando a fronteira desde meados da década de 1990, quando o reforço da aplicação em San Diego e El Paso, no Texas, empurrou o tráfego para os desertos do Arizona. Nos últimos anos, o sul do Texas tornou-se o corredor mais movimentado para cruzamentos ilegais e também o mais mortal.

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.